aula #42 - Rescue/Recovery do sistema



Mais cedo ou mais tarde um sistema sofrerá uma falha significativa, como por exemplo não iniciar corretamente. Um sistema de Rescue / Recovery, na forma de discos ópticos ou pendrives USB pode ser usado para corrigir o problema. Iniciando em modo emergency ou monousuário é possível usar o conjunto completo de ferramentas do Linux para retornar o sistema de volta ao funcionamento normal.




Mídias de inicialização de emergência (ou de rescue, ou recovery) são úteis quando o sistema não inicia devido a algum problema, como a falta, erros, ou danos a arquivos que impedem serviços importantes de iniciar.

Mídias de inicialização também podem ser úteis se a senha do root for perdida ou alterada indevidamente.

A maioria das distribuições Linux fornecem uma mídia de instalação (CD, DVD, USB) que tem um duplo propósito porque também funciona como disco de recuperação, o que é muito conveniente. Há também os discos de recuperação específicos.

Mídias Live (em qualquer formato) fornecem um sistema operacional completo e inicializável que executa na memória, ao invés de ser carregado a partir do disco. Os usuários podem experimentar e avaliar um sistema operacional e/ou distribuição Linux sem ter que instalá-lo, ou fazer qualquer alteração no sistema operacional existente no computador.

Mídias Live removíveis são importantes pois podem ser executadas em um computador sem disco rígido, ou com o disco rígido danificado, permitindo que os usuários salvem dados. 


Se você está usando uma mídia Live, de instalação, ou de resgate (rescue), os procedimentos para entrar em um sistema operacional especial para resgate e recuperação são os mesmos, e como já mostramos uma mídia serve a todas as três finalidades.

O modo de recuperação / recuperação pode ser acessado a partir de uma opção no menu de inicialização quando o sistema começa a partir da mídia removível. Em muitos casos você pode ter que digitar rescue na linha de comando do boot loader como:

boot: Linux rescue

Nós não podemos te dizer todas as possibilidades presentes em todas as distribuições, mas é fácil de verificar os procedimentos.

Em seguida, você pode esperar por perguntas como qual idioma, bem como fazer algumas escolhas relativas a distribuição. Então, você poderá ter que informar um local válido para que a mídia possa acessar partes da imagem de recuperação. Este local pode ser: CD/DVD, disco rígido, NFS, FTP ou HTTP.

O local deve conter uma árvore de instalação válida e para a mesma versão do disco de recuperação. Se você estiver usando uma mídia removível, a árvore de instalação deve ser a própria mídia removível. Se você estiver usando o boot.iso , então você também pode precisar de uma árvore de instalação disponível na sua rede.

Outras perguntas podem ser feitas sobre a montar ou não os seus sistemas de arquivos. Se eles forem encontrados, eles são montados sob /mnt/sysimage. Em seguida, um terminal estará disponível para se fazer as correções necessárias no seu sistema.

Lembre-se que o chroot pode ser usado para melhor acessar o sistema de arquivos raiz (/) do sistema que está sendo recuperado.


Muitas distribuições fornecem uma imagem boot.iso para download (o nome pode ser diferente). Você pode usar o dd para gravar esta imagem em um pendrive USB como em:

$ dd if=boot.iso of=/dev/sdX

assumindo que o seu pendrive foi reconhecido como /dev/sdX. Esteja ciente de que isso vai destruir todo o conteúdo previamente existentes no pendrive!

Assumindo que o seu sistema tem a capacidade de iniciar a partir de mídia USB e a BIOS está configurado para isso, você pode então iniciar a partir desta unidade USB. Ela vai funcionar da mesma forma que CD ou DVD de rescue/recovery. No entanto, note que os pactes de instalação não estarão presentes na unidade USB; e por isso, este método pode depender de instalação pela rede.

Ferramentas úteis, como livecd-tools e liveusb-criador permitem especificar um arquivo local ou a Internet para obter uma imagem de instalação e, em seguida, fazem todo o trabalho de criar uma imagem de inicialização e de gravar na unidade removível. Isto é extremamente prático e funciona para praticamente todas as distribuições Linux. 

No modo de emergência (ou emergency mode), você está no ambiente mais básico possível, apenas o que é realmente essencial foi iniciado. O sistema de arquivos raiz é montado como somente leitura, os scripts de inicialização não foram executados, e quase nada está configurado.

A principal vantagem do modo de emergência sobre o modo de monousuário (veremos em breve) é que se o init estiver corrompido ou não estiver funcionando, você ainda pode montar sistemas de arquivos para recuperar dados que poderiam ser perdidos durante uma re-instalação.

Para entrar no modo de emergência, você precisa selecionar um item no menu de boot do GRUB, digitar e para editar. Em seguida, adicione a palavra emergency na linha de comando do kernel antes de iniciar o sistema. Você terá que digitar a senha de root antes de obter um prompt do shell. 

Observe que você também pode entrar no modo de emergência, quando a inicialização (ou boot) falhar, como por exemplo quando um sistema de arquivos estiver corrompido. 






Single-user



Se o seu sistema inicia, mas não permite que você faça login, tente o modo monousuário. Em modo monousuário:

    O init é executado.
    Serviços não são iniciados.
    Rede não é ativada.
    Todos sistemas de arquivos funcionais são montados.
    Acesso root é concedido sem senha.
    Um shell de manutenção do sistema é iniciado. 

Neste modo, o seu sistema inicia no runlevel 1 (em linguagem SysVinit). Como o modo monousuário automaticamente tenta montar seu sistema de arquivos, você não pode usar este modo quando o seu sistema de arquivos raiz não estiver funcionando, ou se a configuração de inicialização estiver corrompida.

Para inicializar no modo monousuário, você usa o mesmo método descrito para o modo de emergência, substituindo emergency por single

Mais vistos no mês:

SSD no linux

Teste de Performance de Rede com Iperf

TuxMath - Tux, do Comando da Matemática. Ensino e diversão a crianças.

DHCP - Guia Completo

As melhores distribuições Linux para 2017

OPNsense - Firewall Open Source

Aula #14 - Os sistemas de arquivos ext2/ext3/ext4

Modelo Firewall Completo em Iptables para pequena rede/office